Produtos | Linha Náutica | Escolha o Moitão correto


O problema de escolher moitões é que os tipos e preços variam muito e o usuário fica diante de diversas opções, sem idéia de que rumo tomar. Este texto vai auxiliar a determinar o tipo de moitão, se de simples mancal, roletado ou ainda, qual o material. Vamos aqui propor alguns passos básicos que serão muito úteis na tomada desta decisão que é mais importante do que parece, e facilita esta tarefa que no fim, é um agradável exercício.

1) É preciso determinar a carga

É preciso determinar a carga a que o moitão vai estar submetido, ou seja, o tamanho do moitão. Para isto, se o projeto é recente, arquitetos fornecem uma lista de cargas pressupostas em cada ponto. Se você não obtém esta informação, procure em nosso site www.nautos.com.br em Calculadores ou consulte nossa fabrica em como proceder para descobrir estas cargas. Ao consultar sobre algum produto, tenha sempre à mão informações sobre o tamanho do barco, peso, e a medida das velas

2) Comecemos po uma vista geral nos tipos de moitão.

Moitão de bucha. Peças de construção muito simples e que eram comuns até os anos 80. A roldana gira diretamente sobre o eixo com ou sem uma bucha de material diferenciado. Geralmente muito resistentes, se mantidos limpos e lubrificados podem ter um rendimento, em condições especiais, superior aos com rolamento, como por exemplo, em cargas próximas ao seu ponto de ruptura ou se a carga é mantida estática por muito tempo, como em estais volantes, ou burros. São ineficientes se usados em reduções múltiplas e realmente desastrosos se usados na configuração “dupla ou tripla”

Moitão com esferas laterais de apoio e bucha. Com comportamento semelhante aos simples de bucha, trazem a vantagem de um apoio lateral mais eficiente, feito por esferas. Este apoio lateral é importante quando existe um desalinhamento entre as linhas de entrada e saída do cabo, pressionando a roldana contra a lateral Os mais modernos, tem uma bucha de material sofisticado auto lubrificante e que suportam longos períodos sob carga constante. A roldana é montada em corpo esculpido em alumínio sólido com alta resistência. Todos os fabricantes dispõem de uma série deste tipo, a Nautos disponibiliza estes modelos sob a designação “para estais e adriças”

Moitão com rolamento de esferas. São moitões em que a roldana gira sobre 2 carreiras de esferas
que fornecem apoio radial e axial, sendo muito eficientes para determinadas faixas de carga. Atualmente é a configuração mais comum e a melhor relação preço/resultado. A combinação mais freqüente são esferas de poliacetal rolando sobre eixo do mesmo material. Esta montagem é eficiente até 60 % da carga máxima de trabalho quando a pressão excessiva causa leve achatamento das esferas com geração de calor que acaba por danificar a pista interna aumentando o atrito e as perdas mecânicas. Lembre que a carga máxima de trabalho é um numero a ser alcançado somente em emergências e não como limite de carga contínua.

A Nautos tem na serie Organic as esferas rodando sobre uma pista de alumínio e que em nossos testes demonstram ser uma opção lógica e eficiente, uma vez que a deterioração se inicia pela pista central. Também nesta categoria a Nautos apresenta uma linha de moitões compactos com esferas de aço rodando sobre eixo de inox. Esta combinação permite cargas e rendimento maiores, uma vez que a temperatura tem efeito mínimo sobre esta construção No nosso site se encontram sob a denominação Dinamics

Moitão com rolamento de rolos e esferas laterais. São moitões em que a roldana gira sobre uma carreira de rolos que fornecem apoio radial
e 2 pistas laterais de esferas para apoio axial, Esta combinação é muito eficiente para faixas mais altas de carga, possivelmente o dobro da configuração anterior. O motivo é que rolos distribuem a carga em uma área maior, daí uma drástica redução de perdas por deformação. Porém, em cargas baixas digamos 5 a 10% da carga máxima, todos estes rolos girando e as esferas laterais podem apresentar algum grau de atrito, porém desprezível. A Nautos oferece vários modelos na linha Line com roldana de alumino e rolos de Delrin, uma combinação eficiente e econômica. Para altas cargas, na ordem além de 1000Kg, temos moitões construídos em alumínio em sofisticados desenhos visando economia de peso e alta capacidade . Neste caso surgem os rolos em Torlon®, termofixo de alta resistência. Todos os fabricantes importantes apresentam uma linha com esta construção, A Nautos tem esta linha sob a denominação “Off Shore”

2) Vamos determinar para que vai servir no barco, o moitão a adquirir.

Os usos básicos são os seguintes:

  · Escota do grande
  · Escota da genoa
  · Escota do balão
  · Burro
  · Adriça
  · Estaiamento
  · Controle
  · Desvios

Características da escota do grande: A característica da escota da vela grande é de longos “percursos”, ou seja, vários metros de cabo circulam pelos moitões sob cargas variadas, às vezes, em alta velocidade. Em barcos de até 32’, geralmente isto é feito a mão, com reduções de 6:1 ou maiores de até 10:1. Nos casos de barcos de regata, acontecem às vezes reduções em duas etapas, “cascata”
como são chamadas, onde uma redução de pouca potencia como, por exemplo, 3:1, tem uma das “caudas” para regulagens rápidas e pouca potencia e a outra, via uma segunda redução, geralmente de 4 ou 6:1, que é chamada de “fina” na mão do tripulante para regulagens precisas e constantes.

Moitão para escota do grande
No caso das escotas do grande, devemos sempre optar por moitões de rolamento. Isto porque as perdas são cumulativas e podem ser da ordem de 2 a 10% em cada passagem. Como estas passagens são de no mínimo 3, fica fácil ter uma perda de 10 a 30%, e como isto vai diretamente à mão do tripulante, e envolve regulagens constantes, entendemos importância de ter rolamento. Porém fique atento, o importante é rolamento sobre o eixo, rolamentos laterais em moitões de bucha ou ‘bushed” não oferecem vantagem real no rendimento. Isto sempre esta descrito nos sites do fabricante ou em catalogo. Quando se trata de um barco de mais de 35’ devemos considerar moitões de roletes. A Nautos oferece alguns modelos de 57 e 75 mm com cargas de trabalho da ordem dos 300 a 1500 kg. Consulte um revendedor ou diretamente a Nautos para ter uma medida da capacidade necessária de seus moitões. Moitões com rolamento são apresentados em varias configurações, sendo os múltiplos “triplos e duplos” muito eficientes. Quando usar reduções de no máximo 4:1, opte por configuração “violino”
que apresentam um desenho mais equilibrado e menos sujeitos a “enroscos”. Outra coisa importante é que a ultima roldana antes da mão do tripulante seja catraca, permitindo muito mais eficiência na operação Resumindo, nas escotas do grande, regata ou não, use moitões de rolamento e tenha certeza de que ser “radial”, ou seja, sobre o eixo

Características da escota de genoa: A escota da genoa, junto com o burro, é um dos cabos mais solicitados na embarcação (estais volantes são mais, mas isto é um outro caso) Facilmente a genoa de um 32 pés exerce 400 kg sobre a escota, enquanto na ponta do sistema do grande não passa de 60 kg. Assim a escota das velas de proa vão, em 90% dos casos, diretamente para a catraca passando por um carrinho de genoa
Aqui existem outras duas possibilidades, carrinho de genoa móvel ou fixo Adiante estudamos estas duas possibilidades A escota das velas de proa deve exercer esforços diferentes e acumulados sendo que manter o ângulo correto da vela é só um deles. Não tendo retranca, a tensão que mantém a forma da vela é dada unicamente pela escota e quase sempre exercendo em um ângulo extremamente desfavorável. Pode ser dito que a tensão ao longo do pé da vela consome 20% do esforço na escota, 60% a curva da valuma.e somente 20% controlam o ângulo de ataque. Aqui precisamos estudar o caso especial em que existe uma retranca, ou um sistema “self taking” enquanto a escota da é dividida em vários moitões e vai para uma catraca bem menor e na troca de bordo, se posiciona automaticamente na nova amura. Nesta construção esforço combinado do pé da vela e a curva da valuma são absorvidos por um trilho ou uma retranca, restando sómente o esforço q controla o ângulo de ataque

Moitão para escota da Genoa
No caso das genoas, é uma roldana fixa a um “U” sobre um carro que assume varias posições sobre um trilho, chamado geralmente de “carrinho de genoa” Esta roldana quase não sofre esforço até o ultimo metro quando sobe exponencialmente ao máximo. Poderia ser sempre o caso de uso de roldanas de bucha, e todos os fabricantes oferecem uma variação disto, mas no caso de regatas em que os sucessivos bordos exigem repetidas caçadas desta vela, o rolamento na roldana se torna importante. Aqui existem outras duas possibilidades, carrinho de genoa móvel ou fixo O primeiro modelo é mais usado em barcos de regata, onde a mudança de ponto da genoa, logo na saída de um bordo equivale a troca de marchas em um carro, mudando a curva da vela e obtendo melhor arrancada mesmo, Os modelos fixos, com uma pequena trava, são pré ajustados para as condições previstas, e para serem movidos, é preciso aliviar a carga, ou quando se encontra ainda a barlavento

Não podemos esquecer os “desvios” da escota, geralmente moitões fixos ao convés. Aqui também vale a regra, regata sempre roletados, cruzeiro pode ser bucha, mas atenção, se o desvio é de mais de 45 graus use roletado porque aqui existe um outro fator, até sinistro, desvios de 90 graus aumentam o esforço em 40%, 140 graus em 80% e chegando a dobrar a carga aos 180 graus, coisa ignorada em muitos casos Estes desvios merecem toda atenção na hora da escolha dos equipamentos do convés devido ao enorme esforço a q são submetidos

Características da escota do Balão De forma geral, parecida com a genoa, porém de menos esforço e muito mais dinâmica. A escota de barla trabalha em um ângulo extremamente desfavorável e tem que aceitar regulagens seguidas de longo percurso de cabo. Na situação de sota, o esforço é menor, mas a amplitude maior, e muitas vezes é o mesmo moitão usado anteriormente como “de barla.” Moitão para escota do Balão Para regata, sem exceção, desvios da escota do balão devem sempre roletados e bem dimensionado, No caso de cruzeiro, onde acertos são menos freqüentes, e também para isto é usada uma catraca da genoa, agora livre a barlavento, não é fundamental o rolamento. Consideração importante de segurança: Devido a que sempre muitos tripulantes se encontram dentro do V formado pelo punho da vela e a catraca, é grande o risco de acidente se este moitão ou su suporte romperem. Atenção especial deve ser tomada nesta escolha

Características do Burro, ou “vang” Outra situação extremamente carregada e de pouquíssimo percurso. Para se ter uma idéia, em monotipos as cargas do burro ultrapassa os 300 kg, o que pode ser provavelmente 3 vezes o peso do conjunto barco-tripulante. Em um trinta pés em regata pode se esperar 1200 kg ou mais. Poucas pessoas prestam a devida atenção ao burro ou conhecem sua real utilidade, porém, se espera deste mecanismo o controle da forma que a vela grande adquire ao longo da saída (valuma) , parte da curva do mastro no contravento e outras finesses importantes Outro detalhe básico é o fato de que o burro em um longo bordo fica permanentemente cassado e para suportar isto, as roldanas requerem características especiais

Moitão para cabos do Burro: Por ser uma peça extremamente carregada, o moitão para o burro deve ser o mais sólido possível, de bucha e organizados em cascata.
Lembrar aqui os chamados burros telescópico, ou “burro esperto”, equipamento que já contém roldanas sólidas, montagem em cascata e a função de amantilho integrada. A Nautos fabrica 5 modelos de burro que cobrem de 21´ a 50´. Recentemente tem se visto em barcos de regata o uso de simples anéis de fricção que são mais leves e resistentes do q moitões. e se prestam perfeitamente para esta aplicação de extremo esforço e movimento quase zero A nautos oferece estas peças sob a denominação de xxxxxx

Características das Adriças As adriças tem características semelhantes ao burro e aos estais volantes, depois de içada a vela, pouco movimento e esforço concentrado.

Moitão para adriça No tope do mastro já são fornecidas as roldanas internas, normalmente com algum tipo de bucha, restando ao cliente a escolha das roldanas de desvio no pé do mastro. Sem problemas podem ser de bucha. A mobilidade esperada destes moitões é mínima, podendo ser de um modelo fixo destes moitões.

Consideração importante de segurança Para adriça externa do balão nunca usar moitões de plástico. Sempre existe a possibilidade de alguém ser guinchado ao tope e ser for por um moitão deste tipo, existe risco de ruptura e acidente potencialmente mortal

Características do Estaiamento Volante e Popa ajustável: Aqui outra vez ocorre caso de súbito aumento de carga no fim da caçada e depois um longo tempo de carga fixa . Algumas vezes, geralmente barcos até 30’ temos uma redução em cascata,
suficiente para o esforço Em barcos maiores, depois de uma redução de 2:1 vai para uma catraca

Características dos moitões no Estaiamento usar moitões de bucha pela sua resistência e confiabilidade simples. Em barcos de regata até 35/38´ pode ser conveniente moitões roletados pela necessidade de usar diretamente força manual, por velocidade e agilidade Atenção: a resistência do moitão deve ser calculada como no mínimo carga de ruptura igual ou 10% a mais do que a do cabo. Consideração importante de segurança Não use moitões de plástico ou de esferas na parte inicial destas montagens, ou seja na parte “carregada” da cascata. A Nautos oferece um modelo exclusivo de moitão com catraca e stoper integrado que usado com um engate rápido forma um conjunto pratico e eficiente para estais de popa , volantes e babies móveis

Características dos Controles Geralmente menos carregados que outras funções, posicionam travelers, caçam esteira, trazem a escota para dentro em ângulos mais apertados e uma infinidade de outros usos. Muito usados na mão, tem percursos grandes e montagens múltiplas Características dos Moitões para Controles Sempre devem ser roletados e compactos. Verifique se é possível usar já com mordedor integrado para “limpar“ o convés, evitando mais uma peça fixa ou cabos soltos. Aqui se encontra um largo uso dos moitões duplos e triplos A Nautos tem alguns pequenos modelos já com gancho.

Características dos Desvios e seus Moitões Desvios, se de pequeno ângulo, podem ser até olhais fixos para simplicidade e leveza Em ângulos maiores de 30° prefira os chamados moitões fixos ou encosto
Consideração importante de segurança Atenção, em desvios com ângulos superiores a 45°, as cargas crescem radicalmente e rupturas podem ser perigosas. Para desvios de 90°, o ponto de fixação tem uma carga de 145% da efetuada e para ângulos de 180°, a carga sobe a 200%



produtosbarraCatracasStoppersterminaisCArrosAcessórioscontrole de velasMoitoesMoitoes regata
Nautos Indústria Metalúrgica Ltda
Fone: 55+ (54) 3026.1600
nautos@nautos.com.br